Apresentação

Imprimir

Atuando há apenas cinco anos, o  Instituto Brasil de Pós-Graduação, Capacitação e Assessoria (I-BRAS) vem fazendo história. Já são mais de 1500 alunos que concluíram ou estão por concluir sua especialização em Farmacologia, Saúde da Família, Fisioterapia, Análises Clínicas ou Hematologia. Presente em 11 estados Brasileiros (Roraima, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Tocantins, Mato Grosso e Paraná), o I-BRAS gerencia e administra cursos em parceria com a Faculdade Cathedral, responsável pela área pedagógica. 

Tudo isso ocorre, graças ao empenho de toda equipe de professores, funcionários e parceiros locais, que têm possibilitado a abertura de cursos de Pós-Graduação e de Atualização em diversas cidades brasileiras, propiciando, para centenas de profissionais, o acesso à informações atualizadas e com professores da mais alta qualidade.

Leia mais...

Educação a distância cresce mais que a presencial no Brasil

E-mail Imprimir PDF

A Educação a distância (EAD) vem crescendo em passos mais largos que a educação presencial. Entre 2011 e 2012, o aumento nas matrículas em cursos do EAD cresceram 12,2%, enquanto a educação presencial teve aumento de apenas 3,1%.

Apesar de crescer mais, o EAD ainda está longe dos curso presenciais, representando 15,8% das matrículas no período, segundo dados do Censo da Educação Superior de 2012, divulgados pelo Ministério da Educação (MEC).

E se depender do governo federal, esse número deve crescer. Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, a intenção é ampliar a oferta de cursos EAD nas instituições federais. De acordo com o censo, a maior parte das matrículas nestes cursos está concentrada na rede privada (83,7%) e é oferecida por universidades (72,1%).

Outra demanda que está crescendo é a dos cursos tecnológicos, que possuem uma duração mais curta, em geral de 2 a 3 anos, com aulas mais práticas. Estes registraram um crescimento no número de matrículas de 8,5% de 2011 a 2012. Contudo, assim como os cursos EAD, eles ainda representam uma fatia pequena, com 13,5% das matrículas totais.

As matrículas em cursos de bacharelado cresceram apenas 4,6%, mas ainda representam 67,1% do total. Cursos de licenciatura tiveram crescimento de apenas 0,19%, representando 19,5% do total das matrículas.

Outros dados interessantes dizem respeito ao turno em que os alunos realizam as aulas. O período noturno tem 63% dos alunos de cursos presenciais. Na rede privada, esse número sobe para 73%. O cenário muda bastante na rede federal, onde 70% das matrículas são no turno diurno.

Ao todo, o ensino superior atingiu, no ano passado, 7.037.688 matrículas na graduação - um crescimento de 4,4% em relação a 2011. O curso com maior número de inscritos foi Administração (833.042), seguido de Direito (737.271) e Pedagogia (602.998).

Fonte:

http://corporate.canaltech.com.br/noticia

Última atualização em Sex, 25 de Outubro de 2013 14:35

Educação à distância é a aposta do mercado

E-mail Imprimir PDF

Alternativa para quem busca qualificação e dispõe de pouco tempo, o ensino à distância já apresenta procura superior aos cursos presenciais, segundo dados do Censo do Ensino Superior do Ministério da Educação (MEC), divulgado em setembro de 2013. O crescimento de alunos à distância, entre 2009 e 2012, foi de 10,9%, enquanto o de presenciais foi de 6,45%. Cerca de 150 mil alunos, por exemplo, buscaram os cursos de pós-graduação à distância no mesmo período.

Hoje o EAD representa 14,6% do percentual de matrículas no Brasil. Dados que comprovam o amplo crescimento desta modalidade de ensino no país.

Segundo Ana Cecília Monteiro Chaves de Azevedo, diretora da GMX Brasil- Desenvolvimento Profissional, empresa com sede no Rio de Janeiro, especializada no ramo jurídico, presente no mercado desde 2010 apostando no ensino ‘a distância, o crescimento deste segmento atende a demanda dos alunos que optam por desenvolver um sistema de ensino independente.” O ensino ‘à distância possui cada vez mais qualidade e o MEC está ciente disso, basta vermos os números que apontam este mercado como próspero. Interessante analisarmos a evolução do material didático apropriado e a comunicação cada vez mais próxima dos professores com seus alunos pela internet, chats e fóruns, entre outros mecanismos que estão tecnologicamente cada dia mais presentes no conteúdo programático”, declara a empresária.

De acordo com Ana Cecília, que segmentou a GMX Brasil principalmente na área trabalhista e conta em seu staff de professores titulares com juízes e promotores, encarar a educação à distância com preconceito é coisa do passado. “Nossos professores tem titularidade, o conteúdo do programa é de extrema qualidade e o conforto em acessar as aulas de qualquer computador, é um diferencial perante o ensino presencial”, comenta a advogada, lembrando que, por mais que o investimento inicial seja maior, o custo se dilui, pois o período dos cursos costuma ser menor.

É fato que este novo negócio vem superando as expectativas das pessoas que estavam acostumados a estudar somente de forma presencial. “ O aluno tende a ficar mais compenetrado e busca por estudar no momento em que está disposto a aprender”, afirma Ana Cecília.

Fonte:

http://www.jb.com.br/pais/noticias

Última atualização em Ter, 24 de Setembro de 2013 16:36

Acesso ao Site

Informações

Formas de Pagamento

Redes Sociais